quarta-feira, julho 8, 2020

Roberto Santos responde: Fui demitida de um emprego em que estava muito feliz. O que faço?

“Tanto que acumulei as funções de minha coordenadora e dava tanto conta, que ela acabou se sentindo ameaçada e me despediu. O que mais me deixou triste foi ver que a empresa acobertou tudo em nome de um círculo antigo de ‘amizades’. Desde então, estou ajudando meu marido na empresa dele, que não é da minha área de formação. Vendi tudo que estava financiado e não sei que lugar tomar; pois ainda convivo com o fantasma que não tenho competência nem pra ser empregada nem empresária.”

“Chefe incompetente precisa receber elogios para sobreviver…”

Resposta: Às vezes precisamos mesmo recorrer àquela firma de um filme da década dos anos 1980 – Os Caça-Fantasmas – para nos ajudar a lidar com os fantasmas que nos rondam internamente e perturbam nossa carreira e existência.

Bom saber que para caçar fantasmas em nossa carreira, não precisamos de equipamentos esquisitos como aspiradores de ectoplasma como os usados naquela comédia. O que sim necessitamos é uma revisão de dados, fatos, relatos, indicadores sobre o que fizemos em nossas experiências profissionais. Que competências desenvolvemos ao longo de várias passagens por empresas que se traduziram em implementação de projetos, tomada de iniciativas de impacto, ideias criativas que contribuíram para resolver um problema e a contrapartida desse aporte de trabalho, qualificações, energia e motivação. Ou seja, as promoções, aumentos, elogios nas avaliações de desempenho, além de agradecimentos genuínos de colegas, subordinados e/ou chefes. Se você acumulou funções de sua coordenadora, imagino que foi por competência e não por rebeldia.

Talvez, possa ter faltando um pouco de habilidade política de deixá-la brilhar com seu trabalho, apoiá-la e elogiá-la publicamente, pois muitas vezes é o que a maioria dos chefes incompetentes precisa para sobreviver — pelo menos por algum tempo. Agora passou e você precisar olhar para frente e tirar os fantasmas da frente e substitui-los pela convicção de poder repetir em outra empresa tudo que fazia de bom naquele emprego por sua competência.

Por mais que tenham sido muito reais para você em sua demissão, fantasmas são as “acobertações de círculo de amizades” – essas não são sustentáveis. Aguarde e acabará sabendo por algum colega daquela empresa o que acontecerá com aquela “formação de quadrilha”. Retome o trabalho em sua área de formação e que lhe traz satisfação e deixe os fantasmas para o passado.

- Advertisement -
- Advertisement -

Últimas

Como a LGPD vai levar o RH a uma segunda onda da digitalização

Salvo alguma mudança de última hora – uma proposta de adiamento está em tramitação na Câmara dos Deputados – faltam menos de seis meses...

Cinco hábitos de pessoas malsucedidas – que você pode evitar

O sucesso não é copiar os hábitos de outras pessoas ou seguir um caminho baseado em receitas de autoajuda. A maneira mais...

Solitários, esgotados e deprimidos: o estado da saúde mental dos Millennials

A “Business Insider” analisou o estado de saúde mental da geração Millenial – pessoas com idade entre 23 a 38 anos em...

Conheça seis comportamentos que podem atrapalhar a sua carreira

Fortes habilidades sociais e inteligência emocional são mais necessárias agora do que nunca. Na medida em que as organizações se conscientizam da...

Chefe e colegas de trabalho narcisistas? Aprenda a lidar com eles

Você sabe reconhecer um narcisista? Pessoas com este traço de personalidade costumam dificultar o seu dia a dia e, se forem tolerados e recompensados,...

Esqueça o carisma: entenda por que líderes humildes são bem-sucedidos

Existe um paradigma no mundo dos negócios que diz que os CEOs de sucesso são ambiciosos, orientados a resultados, individualistas e, acima de tudo,...

A discriminação dos candidatos por meio de testes de seleção

Nos últimos tempos, nunca foi tão alto volume do som das acusações e críticas contra os vários tipos de discriminação: racismo, homofobia e outros,...

Considerando uma mudança de carreira? Então leia esse post

Muitas vezes, uma mudança de carreira parece uma transformação glamourosa - uma imagem blasé do “antes” transformada em um belo “depois” em uma revista...