quarta-feira, agosto 17, 2022

Pesquisa identifica ligações entre aprendizagem contínua, crescimento de receita, engajamento de funcionários e agilidade

Uma cultura de aprendizagem positiva está diretamente ligada a maior agilidade organizacional, crescimento mais rápido da receita e maior engajamento de funcionários. Estas são algumas conclusões do relatório “Como a Força de Trabalho Aprende”, publicado pela plataforma de upskilling Degreed. A pesquisa revelou o valor das experiências positivas de aprendizagem no local de trabalho em um momento em que os líderes de negócios estão enfrentando desafios como a grande migração de empregos e a escassez de habilidades.

Atualmente, 55% da força de trabalho afirma que provavelmente procurará um novo emprego nos próximos 12 meses. A pesquisa da Degreed descobriu que os funcionários querem receber mais orientação sobre como e o que aprender, além de ter experiências de aprendizagem mais diversificadas e ativas que vão além das aulas padrão ao vivo, virtuais e online. O relatório também destaca o papel crítico dos gerentes e seus hábitos, além da importância de obter feedback para o desenvolvimento da carreira.

A Degreed entrevistou mais de 2.400 trabalhadores de 15 países — incluindo Brasil, Argentina, Chile e México —, nos setores de varejo, saúde, serviços financeiros, tecnologia, serviços profissionais e viagens e hospitalidade, sobre os comportamentos, valores e premissas que levam a experiências positivas de aprendizagem e crescimento profissional no trabalho. Os entrevistados foram divididos em aqueles que classificaram sua cultura como positiva (promotor) e aqueles que a classificaram como neutra ou negativa (opositor). O relatório explora as diferenças entre esses dois grupos.

A ligação entre desempenho e aprendizagem foi explorada. Os promotores têm 53% mais probabilidade de aprender para ter um melhor desempenho em suas funções atuais. Eles também são 50% mais propensos a trabalhar em suas habilidades para se preparar para seu próximo cargo. Os opositores são desproporcionalmente motivados a aprender apenas para completar os requisitos (68% mais alto no grupo de opositores), destacando os baixos níveis de engajamento deste grupo.

As descobertas também desafiam a obsessão da indústria com o conteúdo como a única solução para o aprendizado; e, em vez disso, mostram que existem quatro fatores-chave que se correlacionam com uma melhoria contínua e impactante de habilidades e desenvolvimento de carreira:

  1. Orientação sobre o que e como aprender;

  2. Experiências de desenvolvimento diversas e ativas;

  3. Feedback e insights sobre o progresso;

  4. Oportunidades para praticar, aplicar e ampliar habilidades.

Em uma cultura positiva, as oportunidades de crescimento na carreira estão prontamente disponíveis e os funcionários se sentem mais no controle de sua carreira, com 81% dos promotores afirmando que têm acesso a ferramentas fáceis de usar para o planejamento de carreira e 73% dizendo que é fácil encontrar novas funções internamente. Embora as promoções sejam importantes em uma cultura de aprendizagem positiva, os dados do relatório mostram que as oportunidades de se mover lateralmente ou trabalhar em atribuições de expansão colaborativa são tão importantes quanto e aumentam a retenção de talentos. Os promotores têm 235% mais probabilidade de mudar para uma nova função em sua organização, 101% mais probabilidade de trabalhar em projetos temporários e 189% mais probabilidade de trabalhar com um mentor ou coach, garantindo que todas as suas habilidades sejam utilizadas em todo o seu potencial.

Entre os principais tipos de crescimento na carreira observados nos últimos três anos por profissionais no Brasil estão a promoção de cargo dentro da própria empresa; a mudança para uma nova função na mesma organização; e o trabalho com um mentor ou coach para melhorar habilidades.

O papel dos gerentes na criação de culturas de trabalho fortes também é destacado nos resultados da pesquisa, com os promotores sendo 270% mais propensos a dizer que seu gerente apoia seu desenvolvimento. Por outro lado, os opositores têm 92% mais probabilidade de sentir que seu gerente não apoiou significativamente seu desenvolvimento no ano passado.

“Nos países da América Latina incluídos no relatório ficou evidente o papel-chave que os gestores têm na criação de situações favoráveis ao desenvolvimento profissional de seus funcionários, garantindo o acesso a recursos de aprendizagem ou oportunidades de crescimento”, disse Débora Mioranzza, Vice-Presidente para a América Latina da Degreed. “Entre as ações mais comuns desempenhadas por gerentes na região para apoiar a força de trabalho está a recomendação de recursos de aprendizagem ou oportunidades de crescimento, fazendo deles o elo principal entre os objetivos de negócios das empresas e o desenvolvimento das habilidades necessárias para atingi-los.”

É mais crítico do que nunca garantir que a força de trabalho tenha as habilidades certas para se transformar, ter sucesso e se adaptar às mudanças. Ao se concentrar nos fatores que criam uma cultura de aprendizagem positiva nas organizações, os líderes empresariais podem garantir que seu investimento em qualificação está realmente envolvendo seu pessoal e impulsionando a inovação.

Leia o relatório “Como a Força de Trabalho Aprende” na íntegra aqui.

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas