sexta-feira, setembro 17, 2021

Cresce a contratação mulheres no posto de CFO em 2021

Uma pesquisa realizada pela Russell Reynolds Associates mostra que, no primeiro semestre deste ano, 50% dos seus clientes no Brasil que contrataram posições de CFO escolheram mulheres para essas cadeiras, um aumento significativo quando comparado com a média de contratação de mulheres de quase 20% em relação aos últimos quatro anos. Os resultados, apresentados na pesquisa Tendências sobre as Lideranças de Finanças, mostram também o aumento na demanda das empresas para inserir maior diversidade de gênero no pool de candidatos ao cargo.

“Propor maior diversidade no setor tem sido uma meta da Russell Reynolds e o estudo mostra os resultados do nosso esforço. Aumentamos o número de candidaturas femininas para as posiçoes de CFO, alcançando um salto de 24 pontos percentuais no volume de mulheres indicadas para cargos financeiros no primeiro semestre de 2021, comparado com 2018. Nossos clientes também passaram a exigir uma seleção com mais diversidade de gênero na busca por lideranças, um avanço importante para ampliar a representatividade. O resultado, até o momento, é que 50% de todos os candidatos contratados para CFO foram mulheres”, revela Fernando Machado, consultor e diretor executivo da Russell Reynolds no Brasil.

Superando outros países

Os números do Brasil são superiores aos números globais registrados. Os dados apontam que as mulheres já representavam 27% das lideranças contratadas para posições financeiras das companhias atendidas pela Russell Reynolds em 2020. Mundialmente, a presença feminina foi de 31% entre as contratações indicadas pela consultoria no ano passado.

Apesar dos números, a comparação do cenário global com o Brasil mostra que ainda há muito trabalho a ser feito no país. O levantamento indica que, do total das 105 das empresas listadas na Bolsa de Valores brasileira entre Janeiro de 2015 até Junho de 2021, apenas 3,8% tinham uma mulher como CFO no momento da sua listagem.

O relatório analisa ainda as novas competências das lideranças das posições financeiras no Brasil. Expertise técnica e visão estratégica são capacidades exigidas por 80% das companhias, enquanto mostrar parceria com o negócio é exigência de 75% das empresas. Além disso, os profissionais precisam ter capacidade inovadora e para trabalhar com projetos de transformação digital, habilidade para lidar com investidores, reguladores, sócios fundadores e com fundos de private equity.

Entre as competências comportamentais solicitadas para as lideranças do mercado financeiros no Brasil estão: perfil pragmático, estratégico e capacidade de liderança para gerenciar e desenvolver as equipes, flexibilidade, resiliência e proatividade. Todas essas são habilidades altamente requeridas pelas empresas de Finanças desde 2019, segundo o estudo.

 

- Publicidade -
- Publicidade -

Últimas